domingo, 11 de dezembro de 2011

Minha autobiografia...

Nasci no dia 22 de novembro de 1999 no hospital Santa Joana em Recife.Foi uma manhã muito marcante para minha família:o nascimento de uma filha tanto especial e inigualável como eu.Sou filha de José Walter de Freitas Melo e Adriana Marques Diniz.

Até os dois anos de idade, morei no bairro da Madalena no Edf. Rio Negro.posteriormente me mudei para um apartamento maior em Parnamirim .

Aos meus dois anos, comecei a estudar na escola Ludi Magister,localizada no bairro do Poço da Panela,porém não me adaptei e no meio do ano letivo minha mãe me transferiu para a Escola Exponente,que era bem em frente ao prédio que eu morava.Essa fase da minha vida foi muito legal!Muitas pessoas da minha classe moravam no mesmo edifício. Minha primeira grande amiga foi minha vizinha Débora(também chamada de “loira”) .

Com quatro anos, mudei para Boa Viagem, no EDF. Milllennium onde moro até hoje.Infelizmente não tive mais tanto contato com Débora e fiz uma nova melhor amiga, Prisylla,também minha vizinha.Estudei no Colégio Santa Maria e em 2010 comecei a fazer um curso preparatório exclusivamente para o Colégio de Aplicação.Foi um período muito cansativo, pois meu colégio era muito exigente e eu ainda fazia inglês e ballet.Tive que abandonar o ballet no segundo semestre pela primeira vez,já que fazia desde pequena.

Não sabia que todo esse esforço iria valer tanto a pena, às duas horas e trinta minutos do dia 16 de janeiro, recebi um telefonema da mãe da minha amiga Lara (atualmente, aluna do sexto ano “B”) parabenizando a minha entrada no Aplicação, já que eu estava em Salvador.
Deixei o Santa Maria com 11 anos, foi muito difícil esquecer um colégio tão marcante para mim, mas ainda continuei com minhas amizades e fiz mais ao entrar no novo colégio, onde tive boa adaptação e conclui que é o melhor colégio que eu já estudei.

Desde os nove anos decidi que queria ser juíza federal pelo incentivo dos meus pais. Mas, nesse ano, tomei a decisão que adorava línguas e queria ser diplomata. Admiro e sempre vou admirar essa profissão e acredito que o que eu espero para vida continue acontecendo do jeitinho programado.

Gabriela Melo

Um comentário:

  1. Tá muito boa a sua autobiografia! Ah, claro, não posso deixar de comentar uma parte do primeiro parágrafo: "Foi uma manhã muito marcante para minha família:o nascimento de uma filha tanto especial e inigualável como eu" ...

    Nem se acha,né? kkk,brincadeira!

    Jéssica (:

    ResponderExcluir