domingo, 13 de novembro de 2011

Voltando ao Passado

Revivendo momentos inesquecíveis de uma infância

Gequilane, uma mulher bem sucedida de 36 anos, mãe de duas filhas, uma de 15 anos e outra de 11 anos; sempre foi uma mulher batalhadora e seu objetivo principal em sua vida dar um futuro melhor para suas filhas.Fizemos uma entrevista com Gequilane com o objetivo de saber o que ela acha da infância de sua época para a de hoje.Segue abaixo a entrevista.

Thaynara – Para você o que é ser criança?

Gequilane – Ser criança é ter alegria, espontaneidade, ser meiga(o) e ser responsável sem perder sua ingenuidade.

Thaynara – O que você acha do conceito “Criança – Tudo que se pode imaginar”

Gequilane – Eu concordo com o conceito, pois a imaginação da criança é muito fértil e será nosso futuro.

Thaynara – Qual a travessura que mais marcou sua infância?

Gequilane – Foi quando eu fui brincar de pular corda, mesmo sem minha mãe saber(risos), e enquanto eu pulava,cai na caçimba e quebrei o braço.

Thaynara – Conte um pouco de sua infância.

Gequilane – Bem… eu nasci da Paraíba. Logo após (de nascer) eu ,minha mãe com o meu pai, fomos para Recife. Eu fui uma criança muito traquina,agitada;mas eu perdi os meus pais com doze anos e me tornei mais responsável;mas isso é bom,pois amadureci muito rápido.

Thaynara – Na sua infância como você era na escola?

Gequilane – Eu adorava brincar. Mas nunca tirei nota baixa.

Thaynara – O que você acha que mudou da época de hoje para a que você era criança?

Gequilane – A violência. Hoje em dia não temos a mesma liberdade de tínhamos antes e hoje elas [as crianças] trocam o pião por um vídeo game, um pega-pega pela internet.

Thaynara Lessa

6° “A”

12 comentários:

  1. Acho que está faltando alguma coisa aí...
    Logo, logo ela deve postar a entrevista toda.

    ResponderExcluir
  2. é... ou ela não soube salvar direito.

    ResponderExcluir
  3. Foi mal to postando agr,é que eu coloquei o titulo e dei enter,porque eu pensei que ia para a parte de baixo(para escrever o texto),so que posto no blog so o titulo,ai eu resolvi escrever no World.

    ResponderExcluir
  4. Acho que já tinha dito que simplesmente adorei o teu conceito de criança, não foi?!
    Nunca pensei em ouvir uma definição tão curta e tão perfeita para essa palavra... ;)

    ResponderExcluir
  5. Sheyla, concordo com você. Olha, acho que descreve criança de uma forma beeeeeem ampla.
    Mas eu gostei, acho que nunca poderia imaginar esse conceito...

    Bjos,

    Jéssica.

    ResponderExcluir
  6. O tudo que se pode imaginar me lembra aquela bonequinha de pano, chamada Emília. É gostoso ser criança, se tem o poder do "faz de conta", torna as coisas mais felizes ^^)
    Parabéns pelo Blog, galera.

    ResponderExcluir
  7. Agora que eu entendi o projeto... Hehehehe

    Vocês estão entrevistando os professores e questionando sobre a infância deles. Gostei!


    Grande abraço,
    Severino.

    ResponderExcluir
  8. ADOREI!!!!!!!!!!

    Muito legal tai!!

    ResponderExcluir
  9. Thaaaay, ameei sua entrevista ^^
    Gabriel, "tai" com I doeu em mim.

    ResponderExcluir
  10. Denys Souza Pereira22 de novembro de 2011 18:12

    Em relação ao seu conceito de criança, nunca vi algo tão fantástico vindo de uma 'criança', muito bom mesmo, além de ser muito criativo, meus parabéns. Entrevista muito boa, só acho que crianças não possuem muita responsabilidade, uma vez que as atividades que realizam dentro de casa são tarefas simples, ou seja, está mais para dever/obrigação do que responsabilidade mesmo. Agora há exceções, como a entrevistada, que diante da morte de seus pais teve que alterar o seu perfil para encarar a vida e seus obstáculos.
    Meus parabéns, gostei muito como todo.

    ResponderExcluir