domingo, 27 de novembro de 2011

As flores de Miraflores

O livro “O menino do dedo verde“ retrata a emocionante história de um rico menino chamado João Batista, conhecido por todos como Tistu. Morava na cidade de Mirapólvora, em uma grande casa, junto com o Sr. Papai, a Dona Mamãe e seu querido pônei chamado Ginástico. Eles eram conhecidos principalmente pelo fato do Sr. papai ser dono de uma famosa fábrica de canhões.

Ninguém tinha a menor dúvida de que Tistu ficaria com o lugar do Sr. Papai na direção da fábrica, assim como este sucedera ao Sr. Vovô. Mas, para a surpresa de todos, ao entrar na escola, Tistu dormiu nas aulas e acabou sendo expulso. Isso fez com que o Sr. Papai inventasse um novo método de ensino, no qual Tistu aprenderia as coisa vivenciando-as. Seus professores seriam o jardineiro Bigode e o severo gerente da fábrica de canhões de seu pai, o Sr. Trovões.

Na primeira aula com o jardineiro Bigode, Tistu descobre que tem um polegar verde, ou seja, em tudo que ele tocasse nasceriam belas flores. Com esse dom ele fez com que a cidade passasse a se chamar Miraflores e descobre que uma cidade mais bonita e florida é capaz de amenizar a miséria, alegrar os hospitais e até mesmo acabar com as guerras.

Com um grande toque poético, o livro, escrito pelo francês Maurice Druon(1918-2009), é bastante interessante. Gostei principalmente pelo fato de mostrar que com simples atos, como a de uma inocente criança, podemos espalhar a paz e o amor no mundo. No entanto, acho que poderia ser um pouco menos dramático. Foi criado para o público infanto-juvenil, mais qualquer um que o ler irá gostar bastante.

5 comentários:

  1. Acho que esse será o próximo livro que vou ler... :D

    ResponderExcluir
  2. Também farei a resenha sobre ele, na verdade já estou fazendo. realmente é muito bom!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Sheyla , eu recomendo! A história é linda! A minha será sobre Tistu também, postarei ainda hoje! Miih, gostei muito da sua resenha. Só discordo em uma coisa: não deveria ser menos dramático, acho que na verdade, nem é dramático (:

    Bjos,

    Jéssica.

    ResponderExcluir
  5. Adorei a históriaaa chorei no fim (Rsrsrsrs)

    ResponderExcluir